MPIF: Mulheres Pretas Independentes de Favela

Tracie e Tasha Okereke

Votar

A partir da estruturação de seu coletivo MPIF (Mulheres Pretas Independentes de Favela), as gêmeas vão fortalecer a voz das mulheres negras da favela através da moda, arte, música e dança.

"Nosso objetivo é mostrar o trabalho de quem movimenta São Paulo, no corre, da periferia para toda a cidade. Queremos questionar o padrão pronto e pré estabelecido, descentralizar a informação de moda e conscientizar as pessoas de que é possível ser criativo, ter estilo, gastar pouco - e ainda passar uma mensagem social e política em tudo que é vestido e consumido. O nosso conceito de moda é 'It Favela'. Incentivamos a economia criativa, moda sustentável e o nosso lema é 'F@da-se as suas etiqueta'”.

 

 

O projeto:

A consolidação do coletivo MPIF através da produção e exposição de trabalhos e movimentos culturais da periferia em outras regiões de São Paulo.

"Vamos reunir artistas e reflexos culturais da periferia e criar materiais que possam ser expostos para o mundo. Dentro de um 'dispositivo camelô' - uma estrutura que pode ser levada para todos os corres e cantos - fotos, vídeos, e roupas serão dispostos e compartilhados com o resto da cidade."

 

 

Funcionamento:

Durante um mês as gêmeas vão coletar ideias, produzir trabalhos com o coletivo MPIF e ativar a Galeria Melissa com desfile-show e seu dispositivo camelô. "Vamos celebrar e ativar a potência da favela, do camelô, da rua, da moda sem etiqueta e da cultura hip-hop nos outros centros da cidade. Queremos construir um império!"

 

 

Projeto refletido por Tracie e Tasha Okereke com a conexão de Gustavo Silvestre 

 

Fotos: Vtao Takayama e Hick Duarte