Arestas

Apolinário

Votar

Explorando o modo de viver a cidade e o ofício de diversos trabalhadores, Apolinário sugere uma marca de vestuários que enxergue o corpo como um espaço funcional. Peças inspiradas em macacões de mecânicos são meticulosamente criadas para se adaptar às necessidades de desempenho de cada profissão.

 

"Pensada em sintonia com os principais elementos do Meio-Fio - criar conexões e trocar experiências dentro de São Paulo, em diferentes meios de atuação -, Arestas é uma marca que enxerga diferentes movimentações na rua e cria um uniforme de desempenho para as pessoas que vivem e usam cada canto da cidade como uma plataforma de execução de trampo. A roupa é criada para ultrapassar as barreiras de gênero e explorar ideia de ter o corpo atuando como espaço."

 

 

O projeto:

Uma marca de roupas 100% funcionais para profissionais que usam a rua e a cidade como principal base de trabalho. Começando com skatista, grafiteiros e vendedores ambulantes de diferentes regiões de São Paulo, serão criados esqueletos modulares de acordo com as necessidades primordiais de cada um. Inspirado pelos trabalhos artísticos de Paula Garcia e Renan Serrano, os uniformes terão imãs incorporados em seus tecidos, auxiliando no manuseio de ferramentas e instrumentos.

 

"A ideia é expandir os uniformes para todas as frentes de rua possíveis e transformá-los em domínio público. Eles poderão ser usados por pequenas empresas, movimentações artísticas e todas formas de trabalho urbano."

 

 

Funcionamento:

Além do desenvolvimento da marca, o processo criativo para as os uniformes de outras profissões será em formato de workshop itinerante. Durante um mês, o estilista circulará pela cidade elaborando novas soluções de vestuário a partir da interação com as pessoas. Seus deslocamentos são documentados em vídeo, e os manuais para fazer os uniformes serão disponibilizados para o público junto com seu lançamento.

 

 

Projeto refletido por Apolinário com a conexão de Chantal Sordi