"Realizar a atividade Tecido Coletivo, no último dia 12, com tanta gente envolvida, gerou uma série de reflexões - muito estimuladas pela grande experiência que foi. Não posso deixar de começar esse texto com um sonoro agradecimento a todos envolvidos, principalmente meus amigos de sala de aula, que aceitaram participar do projeto comigo.

O desejo não pode ficar só no plano do desejo.

A coisa precisa ganhar força na sua cabeça para se transformar em meta, e qualquer atividade merece um mínimo conhecimento. Quanto mais souber sobre o assunto, mais confiança terá em relação ao projeto e a si mesmo. Eu percebi que quando as pessoas estão diante de teares, prontas para tecer, a maioria se intimida. Por que isso acontece? Tímidas e inseguras em relação à máquina, as pessoas se embananam com o sobe e desce do pente, o ir e vir da navete que conduz o fio durante a construção da trama sobre urdume. Mas eu digo: tecer é muito fácil. A mágica acontece quando você descobre o segredo do entrelaçamento, que está o tempo todo diante dos seus olhos.

E foi isso que entendi quando pedi para meus amigos de sala se transformarem no próprio instrumento de trabalho. Sem o tear físico, o corpo deles se tornou parte da construção de uma tecitura humana e coletiva. Dentro do processo vi olhos brilharem pela compreensão do conhecimento daquilo que estávamos executando. Mais de oitenta mãos, entre alunos e frequentadores do Parque Minhocão simultaneamente compreenderam o ponto mais básico da arte da tecelagem. Conhecimento orgânico que levarão para o resto da vida. Isso é lindo demais.

Refleti que liderança tem a ver com o que realizamos ali, onde todos meninos e meninas eram protagonistas da performance.

Teve uma hora, que sai para o lado e vi a coisa acontecer, sem precisar estar presente com a mão na massa. Deliciosamente todos assumiram seus papéis, havia muito prazer envolvido.

Por último, fui desafiado a pensar e registrar quantos verbos fizeram parte na construção da ação Tecido Coletivo. E são eles: ordenar, repetir, tecer, focar, entrelaçar, compartilhar, desenvolver, formar, configurar, reaproveitar, tensionar, movimentar, unir, mover, conduzir, liderar, aperfeiçoar, estimular, instigar, comprometer, agir, reunir, registrar, reverberar. Por que esses verbos são importantes?

Verbo é ação.

A vida não acontece só no sujeito (nos sonhos e pensamentos), nem nos adjetivos (o que vão pensar de mim, dizer de mim, etc.). A vida acontece na interação do mundo exterior e do seu mundo interior, em como você dança e age entre um e outro.

Obrigado Professora Lucimar de Santana

Obrigado Coletivo Dois (pelo registro maravilhoso do vídeo e fotos)

Obrigado Melissa Meio Fio

Obrigado FPA, turma de Licenciatura de Artes Visuais (todos vocês)

Obrigado São Paulo, por me estimular viver mais e melhor!

Me sentindo muito feliz!" 

 

Fotos: Coletivo Dois

Vídeo: Coletivo Dois