"Isso é um Lambe-lambe de 3 metros de altura.

Mas, antes disso foi a capa de um zine. E, originalmente, uma colagem manual feita a 4 mãos. O lambe, o zine e a colagem fiz em parceria com a Manuela Eichner, grande artista e parceira do universo "colagista". 

 

Queríamos sair do esquema tesoura, estilete, navalha, etc., então a gente começou a xerocar e rasgar imagens, a amassar, escanear e sacanear mesmo com os procedimentos. Aí vimos que tinha uma cara de pôster rasgado na rua, com aquelas camadas aleatórias, com mundos paralelos, com gestos, e até com uma certa selvageria, se quiser.

 

Fizemos todas as colagens entre dezembro de 2015 e janeiro de 2016, quando aconteceria a Feira Plana, evento organizado pela Bia Bittencourt que recomendo muito, e que ano que vem vai ser no prédio da Bienal (Uau). E a 2ª edição do zine (assim como o lambe) levamos para outra feira incrível aqui de São Paulo, a Tijuana

O fato é que isso tudo tem a ver com meu processo criativo nesse exato momento.

O lambe-lambe gigante, vazando pela calçada, as camadas de memória, as histórias, os corpos que se reinventam nas ruas. Não é à toa que outro dia escrevi:

 

'Sabe esse lance de peixe ser bom pra memória? Tô começando a achar que é mesmo, bom pra lembrar que existem outras dimensões //paralelas// [...] fiz um ceviche, tava tão bom que comi por 3 dias seguidos, fui mergulhando num processo criativo, sendo contaminado por idéias! Peixe, deixe eu te ver, deixe.'

Sabe essa canção dos Doces Bárbaros? "

 

O zine completo de Zé Vicente pode ser visto aqui e, em breve, vai estar á venda na loja Printed Matter em NY.

 

 

Fotos: Zé Vicente