"É importante eu saber que fui eu que fiz tudo."

Daniella é mulher. É criadora, criativa, confiante, costureira e negra. Ela tem curvas, tem peito, tem bunda – e tem amigas com quem divide a constante agonia de ter que se espremer e se oprimir em numerações e tamanhos que não significam nada para seus corpos. Com uma ideia na cabeça – raspada e livre – e com o sangue de costureira correndo em cada centímetro de si, Daniella inverteu o processo: roupas a partir de corpos, e não corpos a partir de roupas.

Peças sob medida, de malha grossa, escolhidas e testadas para abraçar qualquer corpo, são as armas da estudante de moda para curar a cabeça das mulheres através da autoestima. Toda mulher pode ousar, mostrar, se sentir poderosa.

"As mulheres podem ser unidas – não precisam de richa, não precisam ser inimigas uma das outras."

Cansada da indústria da moda que compara, julga e não representa, a sua marca, DMAMACITA, quer formar um time de mulheres que se amam tanto que não tem medo de amar umas às outras. 
"Essa união vai fazer a força que, querendo ou não, a gente tá precisando."