"Por enquanto somos nós dois, André e Martina, ambos arquitetos e donos do atelier, Pistache Ganache: peso e leveza, opostos que se atraem e se complementam, foto pb, #nofilter. Alquimia explosiva.

Sorvete

Curioso que tudo surgiu de um sorvetinho despretensioso. E esse é o tom de nossas criações, que nascem de repente, em uma colisão não programada, em um percurso novo a caminho do trabalho, em um olhar afetivo para o entorno ou para o outro. Em muitos momentos, nosso processo criativo é à deriva, descontextualizando um objeto de sua função ou um material de seu uso mais óbvio, recontando histórias, recortando pedaços de imagens. Esse sorvete de pistache e de ganache derrete numa alquimia tropical, em uma fusão multidisciplinar, em uma viagem transterritorial.

O valor de uma história

Buscamos, em nossos produtos e cenografias, criar vínculos mais perenes entre usuário e objeto, e acreditamos fazer isso através do que chamamos de sustentabilidade afetiva. Foi assim, por exemplo, que surgiu nossa linha de móveis abandonados - móveis encontrados em nossos percursos resignificados através de histórias.

 

O Reinaldo, por exemplo, é um ex-bancário de 54 anos, encontrado inconsciente na praça Oswaldo Cruz, entregue aos devaneios etílicos. Rei, como prefere ser chamado, foi demitido por obsolescência tecnológica.

Todos os trajetos que os abandonados realizam pela cidade podem ser acompanhados em nosso site.

 

A bicicleta e a cidade

Dentro de algumas paixões mútuas, uma que se destaca é a bicicleta (não há muitas paixões mútuas, essa é a real). Cúmplice dos deslocamentos pela cidade, é uma ferramenta de autoconhecimento e transposição de subjetividades, com velocidade intermediária entre o pedestre e o automóvel. Além de fazer bem para a saúde (não que sejamos os mais saudáveis com nossa dieta de provolone à milanesa e cerveja), você corre o risco de ser atropelado diariamente e de brigar no trânsito quando levar aquela fina educativa. Fora isso, é só prazer.

Tretas

Dentro do nosso diário de bordo, um capítulo que não poderá faltar é Tretas: quebra-pau, ranca-rabo, briga, bate-boca, angu, barulho, embrulhada, mexerico, celeuma, charivari, embulha, bafafá, desaguisado... mas a gente sempre faz as pazes, fica de boa, e segue em frente. Pistache Ganache já acabou umas 15 vezes, mas sempre recomeça mais forte. Vaso ruim não quebra."

O Atelier Pistache Ganache fica em Santa Cecília, é de lá que André e Martina saem em seus percursos.

 

 

Fotos: Vtao Takayama e acervo pessoal