Para garantir que os 3 vencedores sejam escolhidos de acordo com a proposta do Meio-Fio e sua relevância como artista na cidade de São Paulo, excluindo debates de quem tem mais likes ou influência digital, cada um será determinado de uma forma. Um pelo voto dos participantes (conectores e refletores), um pelo voto do público (vote aqui) e o último por um time de jurados especializados. Pessoas que acompanharam o Meio-Fio e o amadurecimento dos refletores desde o começo até profissionais do ramo que avaliarão os projetos individuais de acordo com sua proposta final.

 

A comissão se reunirá na terça-feira, 14, para determinar seu voto e os três vencedores serão anunciados na quinta-feira. 

Paula Borghi

 

Paula é gestora cultural do SARACURA, espaço que une arte, arquitetura e educação no centro do Rio de Janeiro. Desde 2010 pesquisa arte contemporânea na América Latina e é idealizadora do Projecto MULTIPLO, uma plataforma itinerante em arte impressa (livros, postais, jornais e revistas) que já esteve em Cuba, Chile, Equador, Argentina e algumas cidades do Brasil. Foi assistente curatorial da 12# Bienal de La Havana (2015) e curadora da Residência Artística do Red Bull Station (20013/2014). Foi integrante do grupo de crítica do Paço das Artes 2012/ 2013 e do Centro Cultural São Paulo 2011/2012/2013. Recentemente, trabalhou com o Instituto Goethe no projeto Jogos do Sul, em ocasião das Olimpíadas 2016. Foi contemplada com o Projecto MULTIPLO no Rumos Itaú Cultural 2016.

 

Paula foi batizada de Oráculo dentro do Meio-Fio. Acompanhando os refletores desde o começo do projeto, ela orientou, guiou e tirou dúvidas de cada um deles durante todo o processo.

 

 

Erika Palomino

 

Erika é jornalista da área de cultura, escritora e consultora de tendências. Há 14 anos é consultora da Melissa, participando na pesquisa de tendências e atuando como diretora criativa em projetos especiais como a comemoração dos dez anos da Galeria Melissa e os desfiles das coleções Wanna Be Carioca, Star Walker e Nation. É também a Diretora de Redação da Plastic Dreams, a revista da Melissa, em sua décima-sétima edição.

 

Também trabalhou por 17 anos na Folha de S.Paulo como colunista e editora. Foi publisher e Diretora de Redação das revistas KEY, Moda (Folha de S.Paulo), L'Officiel Brasil, L'Officiel Hommes e L'Officiel Voyage, além de já ter contribuído para as mais importantes publicações do país, tais como Vogue, Harper's Bazaar, Elle e Marie Claire. Na Folha, a coluna semanal Noite Ilustrada, publicada por 14 anos, ajudou a projetar nomes como Alexandre Herchcovitch e a jogar luz sobre novos comportamentos e para a então emergente cena fashion brasileira. Lançou dois livros, Babado Forte (1999) e A Moda (2002), participou por três temporadas do programa Brazil's Next Top Model, da Sony, e em 2014 entrou para a lista do BoF 500 (que relaciona as pessoas mais influentes da moda no mundo). Em 2016, ingressou no prestigioso time de jurados do prêmio da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA), na estreia da categoria Moda.

 

 

Paula Garcia

 

Paula é artista, pesquisadora e mestre em Artes Visuais pela FASM-SP e bacharel em Artes Plásticas pela FAAP. Suas pesquisas e experiências artísticas focam em performance e suas relações com as mídias. Atua como artista e colaboradora artística de projetos do MAI – Marina Abramovic Institute. Dentre suas principais exposições estão: Terra Comunal, Marina Abramovic + MAI – SESC Pompéia, São Paulo. (2015); The artist is an explorer, Basel (2014); The Big Bang : 7 Bienal El Museo del Barrio, El Barrio Museum, New York (2013/2014); The 19th Annual Watermill Center Summer Benefit, Walter Mill, New York (2012); 17º Festival Internacional de Arte Contemporânea Videobrasil SESC, SESC Belenzinho, São Paulo; Performa Paço no Paço das Artes, São Paulo (2011); 6a Edição da Mostra Anual de Performance na Galeria Vermelho, São Paulo (2010); Galeria Expandida, Luciana Brito Galeria, São Paulo (2010) ; Variação, Escola São Paulo (Projeto Encontros com Arte), São Paulo (2009); Projeto Tripé / Vídeo, SESC Pompeia, São Paulo (2008); Virada Cultural no SESC 24 de Maio, São Paulo (2008); coletiva “Mostravideo”, Itaú Cultural, Belo Horizonte, Pará e São Paulo (2007); mostra “Vorazes, grotescos e malvados”, Paço das Artes, São Paulo (2005).

 

 

Diane Lima

 

Diane é curadora e diretora criativa. Especializada em Arte e Contemporaneidades, é mestranda em Comunicação e Semiótica na PUC-SP e pesquisa estética negra e a produção de sentido nas práticas artísticas contemporâneas afro-brasileiras. Ela também é diretora criativa do NoBrasil, uma plataforma de pesquisa e experimentos curatoriais e criou o AfroTranscendence, programa de imersão em processos criativos para promover a cultura afro-brasileira contemporânea. É integrante do conselho do Festival de Cinema Africano do Vale do Silício e curadora da mostra Diálogos Ausentes, projeto do Itáu Cultural que discute a presença dxs negrxs nas mais diferentes formas de expressão.