"Quatro imensas prateleiras virão abaixo. Com elas, um mar de quinquilharias.

'A obra que encena a morte total no momento em que o mundo se vê obrigado a encarar a possibilidade de seu fim. As estantes abarrotadas indicam o mundo da produtividade exorbitante, que ilude a morte com sua produção incessante de objetos'

Um mundo de coisas ordenadas e dispostas configuram os Gabinetes de Curiosidades, um lugar onde se expunham objetos raros e estranhos dos três ramos da biologia considerados na época: animal, vegetal e mineral. Estamos falando dos séculos XVI e XVII, tempo de grandes navegações, descobrimentos e realizações humanas.

Por si só, o trabalho de curadoria é um espetáculo. Com itens que fundem memória e colecionismo consumista separados a partir das categorias Cerveja (cotidiano), Nanquim (morte), Porcelana (luxo) e Cerâmica (ancestralidade), temos uma ordenação de coisas para tratar dos primórdios da modernidade, dos Gabinetes de Curiosidades e deste momento atual pós-tudo. Nosso olhar foca e desfoca dos objetos e passeia pelo interior e exterior do trabalho, ficando aquela sensação de que não se conseguiu ver tudo, de que falta algo, de que os detalhes ainda escapam; e tudo tem prazo para acabar!

Os dias estão contados. Quando algo acaba, quando ocorre a perda e a destruição, o que vem depois?

 

Dentro dos Gabinetes de Curiosidades criados por Nuno e Clima, há dois globos da morte, conectados às prateleiras do recinto. Segundo Danilo Santos, Diretor Regional do SESC São Paulo: “trata-se de submeter um inventário da nossa cultura material aos solavancos provocados por motocicletas em looping”.

 

Ele diz ainda que o som será punk quando as motocicletas começarem a girar e tudo vir abaixo no dia 4 de outubro, às 20h. É como se confirmasse o papel do SESC nos último 70 anos: ‘Estar em diálogo com o seu tempo e suas profundas contradições’.”

 

 

No video abaixo, gravado após a exposição do Rio de Janeiro, ouvimos os criadores da obra falarem sobre a produção e idealização por trás da amostra. 

 

A exposição "Globo da Morte de Tudo" fica em cartaz no SESC Pompéia até o dia 6 de novembro.

 

  

Fotos: Vtao Takayama, Divulgação e acervo pessoal

Video: Alexandre Wagner e Homem de Lata Filmes