Tasha Okereke, Tracie Okereke, Alexandre Heberte e Linn da Quebrada

 

Será que todas as história já foram mesmo contadas? O senso comum diz que sim, mas a desconfiança do status quo é alimento para processos criativos e o primeiro passo para fora da zona de conforto.

 

Em 2016, o projeto Melissa Meio-Fio nasceu para duvidar do mainstream e sair em busca das narrativas restritas aos meandros de São Paulo. Ele deslocou o olhar do centro para as bordas. Colocou amplificadores em vozes que antes eram apenas sussurros. As histórias reveladas trazem à tona um novo protagonismo. São novas lentes para mundo que ressaltam novas cores, gêneros (ou a ausência deles), valores e novas cadências.

 

Ao longo de seis meses, entre julho e dezembro de 2016, nove Conectores, colaboradores e protagonistas de projetos e expressões artísticas relevantes na capital paulista, uniram forças com a equipe curatorial da Melissa para trazer à luz nove Refletores. O Meio-Fio provocou encontros entre dois grupos e eles inspiraram nove processos criativos dos Refletores. Como um espelho da diversidade, eles são ativistas do novo e produtores de manifestações criativas até então camufladas nas entranhas da cidade. Eles são portadores de comportamentos vanguardistas, como sugere a origem da palavra - avantgarde - são a tropa que toma dianteira e que corre mais riscos. Seus desejos e objetivos caminham para um lugar inédito, no qual as perguntas superam respostas.

Os projetos de três Refletores foram selecionados pelo público, pelos próprios colegas e pela equipe curatorial da Melissa para se materizalizarem. Linn da Quebrada, Alexandre Heberte e as irmãs Tasha e Tracie Okereke vão apresentar seus trabalhos no espaço Melissa Meio-Fio na SP-Arte. Caberá à curadora Paula Garcia que participou ativamente da primeira fase do projeto, criar um diálogo entre os três eleitos, cujos projetos serão alçados ao status de arte contemporânea entre os dias 06 e 09 de abril, na maior feira do segmento na América Latina.

 

O espaço Melissa Meio-Fio na SP-Arte estará localizado, não por acaso, no segundo pavimento ao lado do setor de perfomances, plataforma artística intimamente ligada a essência do Melissa Meio-Fio. A ativação no evento abre alas para a etapa 2017 do projeto e abre caminho para revelar novas personalidades que encaram a vida como processo criativo.

 

 

 

Texto: Laura Artigas
Fotos: Vtao Takayama