Eduardo Costa

Era um Instagram para vender suas roupas antigas, mas virou uma plataforma que transforma debates de sustentabilidade, arte, militância e cultura negra em editoriais de moda. Eduardo Costa é o dono do Brechó Replay.

Inevitavelmente, precisaremos uns dos outros, não de mais roupas."

Eduardo tem cabeça rápida. Pensa o tempo todo. Pensamentos fluídos e sensíveis que, um dia, o fizeram perceber que ele não era o amigo de pele escura dos brancos, mas sim um negro. Ele não só era filho dos anos 90 como também de uma cultura que vivia paralela a ele esse tempo todo. Eduardo vestiu as roupas de nylon, se tornou cabeleireiro e se despediu do papel de coadjuvante para se tornar protagonista de sua história. Ele é negro, gay e descobriu um jeito de dividir o papel de destaque que finalmente conquistou. Através do Brechó Replay, loja on-line criada junto com o sócio da época, Eduardo, além de defender o consumo sustentável e as peças de reuso, cria editorais que misturam o que os jovens procuram às lutas sociais. Gênero, raça, cultura e sexualidade. Ele abre olhos para temas em debate enquanto expõe uma moda acessível a todos, sem exclusão. Afinal, "se vestir é uma forma de protesto, de empoderamento". Com filmes, fotos e curadoria impecáveis, Eduardo consegue mostrar de frente, em cores, luzes e flashes, tudo aquilo que parecia estar de lado: roupas antigas e minorias.

Foto: Vivi Bacco